"Preocupa-me pouco aonde ir "- disse Alice
"Nesse caso, pouco importa o caminho que sigas" - replicou o gato.

Lewis Carroll

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

livro O Doce Plano das Galinhas ilustrado, para crianças a partir de 3 anos de idade.



Você já leu um conto de fadas para seu filho? Pois deveria ler. 
Os contos de fadas trazem a fantasia e o sonho e, por isso mesmo trazem animais falantes e situações fantásticas; trabalham os arquétipos "o bom" , "o mau" e buscam a realização do "herói", tais como o Lobo mau e os três porquinhos, Chapeuzinho vermelho entre outros.

Não vou me alongar na teoria e formato dos contos mas, se você quiser saber mais sobre isso escreva para mim; Hoje vou direto ao livro - o primeiro de fábulas que ilustrei - e fiz em parceria com Nara Vidal, escritora brasileira que mora em Londres e tem muita história boa para nos contar.

Do livro novo:

Trata-se do O Doce Plano das Galinhas, um conto divertido e inteligente, que deixa uma mensagem positiva sobre amizade, união para resolução de problemas e, de quebra, reforça nossa luta na escovação diária dos dentinhos, hehehe.



Aqui a capa e a quarta capa com a sinopse do texto






Uma das coisas  que mais em agradam nesse ofício criativo de ilustrar livros é a experimentação e a troca de ideias, neste livro brinquei com tinta acrílica e óleo para obter cores mais fortes, quase dramáticas.  

Quando o texto chegou às minhas mãos me encantei com o tom divertido e logo vi que tinha um contos de fadas para ilustrar. Convidei autora e editoras para um chá das cinco horas e depois de muita comida, chá, sucos e risadas juntamos nossas ideias, por exemplo, um pedido da escritora: "Penso em algo bem colorido, divertido" e isso teria que combinar com o lado mais pop de uma das minhas editoras, que gosta muito de rock and roll e queria algo: "Bizarro, maluco, engraçado", a outra editora concordou quanto as cores fortes e acrescentou ideias para o cenário;  minha contribuição foi o entendimento do texto como fábula e inventar animais com maneirismos e hábitos humanos, por exemplo, as roupas dos anos 60 (observem os vestidos de bolinhas, armações de óculos, bolsas, colares e lenços das galinhas, calças, suspensórios e sapatos do porco e burro, casaco e cartola para raposa macho e boá e salto para raposa fêmea)



 






O livro ficou bacana e já participou de um salão literário, a CLIM (Macaé, no RJ), veja as fotinhos:




Nara e o nosso livro.


As organizadoras tiveram a ótima ideia de expor os desenhos originais de cada livro apresentado, ai algumas cenas do O Doce Plano das Galinhas que enviei para a mostra.






Nara Vidal, a escritora do livro entre as organizadora da CLIM  Simone C S Mota  e   Gláucia Pinheiro.

Parabéns meninas pelo empenho, dedicação, competência para fazer acontecer, os leitores agradecem!







segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Fecho um ciclo, abro o coração para cuidar, amar e proteger.



É hoje o lançamento do livro mais querido do mundo, pelo menos para mim é assim, muito querido mas, não foi sempre assim não. 
No começo foi um e-mail de um remetente desconhecido, uma editora que navegando nesse mundo maravilhoso que é a internet encontrou esse blog, essa página cheia de rabiscos, aquarelas, palavras, sentimentos... Rosana Pierre, o nome da editora, leu, viu e, palavras dela "se arrepiou" pensando nas minhas aquarelas para o livro No Meu corpo mando eu. 

Um dia desses mais frios, era maio, eu abro minha correspondência eletrônica e tava lá um convite para ler um texto e, se eu me interessasse, ilustrar um livro infantil e o tema era sobre Abuso Sexual, nem terminei de ler o tal e-mail, pensei comigo: "Que horror, não quero ler esse texto, nem quero nada com esse assunto cruel, feio..."  Mas, tem coisas que são pra ser, sabe assim? E a (querida) Rosana me ligou, perguntando se eu tinha lido e o que tinha achado, eu respondi que não queria participar de nada sobre esse mundo cruel, de feridas, mas, e se se for para PREVENIR, PROTEGER as crianças alertando como o abuso se dá e com dizer NÃO? - perguntou a sensível editora. - Peraí, é um livro para prevenir ?!! Sim, então sim, eu quero participar.

E agora ele tá ai pronto, nosso livro valente, sem papas na língua, dizendo O QUE É um abuso sexual e como se PREVENIR, dizendo em letras garrafais que NO MEU CORPO MANDO EU. É nosso, da Rosana Pierre, da Maria Isabel, da Maria Antonia as corajosas editoras que apostaram no projeto; nosso do Antonio C. Egypto e Marga Moura e dessa ilustradora; e nosso, dos educadores, psicólogos, pais, amigos, madrinhas, crianças, jovens do Brasil todo.

  Tem muitas aquarelas delicadas, muita simbologia e o meu coração, que encerra - para mim - uma violência sexual sofrida na infância e que, através desse livro vira amor. E o que eu sou hoje é escolha, é amor, luz, perdão, bondade e o que fui é passado.



quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Lançamento do livro No meu corpo mando eu (prevenção do abuso sexual infantil) na Bienal de Sampa, 2014


















os autores Antonio Carlos Egypto, Marga Moura, amigas, eu e Maria Antonia Pietrucci Gonzalez, nossa editora no stand da ed. Cuore, na Bienal Internacional do livro em São Paulo. Agosto 2014.





Para adquirir o livro entre em contato com editora Cuore: 

Telefone: (11) 3857-4488 | contato@editoracuore.com.br

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Livro infantil ilustrado sobre rituais de sepultamento! Descobrindo a Arqueologia – O Que os Mortos Podem nos Contar sobre a Vida?

Livro apresenta a ARQUEOLOGIA de forma didática e divertida, ideal para iniciar o tema com a criançada.

Como era a vida no Brasil há 14 mil anos? Quem foram os 
vikings? E a escravidão, como começou e por quê? As 
respostas para essas e outras curiosidades estão em 
Descobrindo a Arqueologia – O Que os Mortos Podem nos 
Contar sobre a Vida?, um lançamento da Cortez Editora.

Ricamente ilustrado... por mim!! eba!! , o livro, impresso em papel couché, descreve a simpática história de vô Roberto, um arqueólogo que conta a seus netos, Luísa e Felipe, alguns fatos preciosos que envolveram a humanidade. Tudo começa quando os irmãos sofrem a perda da jabuti Cristal e o avô convida os netos a conhecer inúmeras histórias, de princesa, escravo, caçadores, piratas, a fim de compreenderem as origens da vida e a experiência de morte. 

Embora muitos não saibam, as dúvidas das crianças estão 
ligadas à arqueologia, à ciência que estuda a sociedade no 
passado a partir da observação da cultura material que 
reúne vestimentas, móveis, artesanatos, adornos, além de 
restos orgânicos, que incluem múmias e ossadas. O avô 
reúne as dúvidas dos netos sobre como se dava o processo 
da morte, como seria o sepultamento, onde ela seria 
enterrada para explicar aos meninos como cada povo 
vivencia a experiência da morte de acordo com sua cultura. 

Desde a idade da pedra, passando pela Rússia, o livro 
apresenta fotos de esculturas, imagens, adornos em ossos 
da época, descreve o povoamento da América, os primeiros 
agricultores e pecuaristas da Europa, há cerca de seis mil 
anos. Pesquisas completas descrevem o que as pessoas que 
viviam naquela época comiam, em que ambiente viviam, 
como seus corpos foram enterrados. Os funerais vikings 
também estão detalhados. A pira de madeira e o barco 
ardendo em chamas que simbolizavam a entrada no outro 
mundo e a admiração desses povos por instrumentos de 
navegação são alguns dos temas descritos.





 



 São 108 páginas com muita ilustração e fatos históricos, para adquirir: http://www.cortezeditora.com.br/DetalheProduto.aspx?ProdutoId=9f11aef0-049e-e311-a9e2-842b2b1656e4



Algumas imagens do livro, já impresso:







terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Ilustrando textos: análise literária e interpretação gráfica, no Museu da Imagem e do Som.

Neste mês de fevereiro fiz uma oficina criativa com Janaina Tokitaka, ela, que além de dez anos de experiência em ilustrar e escrever livros infantis, é uma pesquisadora da arte de ilustrar tem tarimba para nos ensinar a ver e ler imagens, metáforas visuais e aprender a ler textos com os olhinhos de co-autor da história. No curso vemos a história da ilustração (e na oficina do ano passado mergulhamos no universo dos Contos de Fadas)e nos jogamos em desafios criativos.

Nos desafios criativos a Jana me provocou a buscar uma linguagem nova, eu que sou estudante de desenho realista e do pictórico deveria enxergar valor e beleza em imagens abstratas e linhas de construção, sem desmerecer o realista, sem endeusar o abstrato, apenas sentir, experimentar, arriscar.

De contos apresentados tínhamos que criar capas de livros e, eu que ando num romance apaixonado pelo nanquim fiz estas duas imagens, uma na oficina do ano passado, outra ontem.

Esta aqui foi para um conto de fadas criado por um dos colegas do curso, tinha todos os elementos de contos de fadas o texto, a busca pessoal, a transformação do personagem principal, o fantástico... e a capa ficou assim, com caneta nanquim. A professora, gentilíssima aprovou.




Este que mostro abaixo foi mais complicado, foi tarefa trazida para casa, pedia mais tempo, afinal o texto do ilustrador e escritor inglês Edward Lear, e o texto apresentado é um limerique , um poema monostrófico de cinco versos, com ritmo anapéstico ou anfíbraco, uma Nonsense Songs, e ilustrar um limerique não é fácil, não! 





Aqui trabalhei com bico de pena e nanquim Winson & Newton.

Pesquise por limeriques, e pelo "Os Jambaleiros do Edward Lear", daí você me diz se eu acertei a capa do livro fictício que apresentei ontem; e já posso te dizer que minha mestra disse: "Maravilhoso!!"

:)

O prazer do ofício de ilustrar cresce ao conhecer gente bacana, entender mais sobre história da arte da ilustração e fazer cursos com artistas do quilate da Jana Tokitaka. 

Recomendo muito as oficinas.

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

O Botão Mágico, livro de Nelson Gonçalves

Recentemente ilustrei um livro bem bacana, que fala de amizade e nos incentiva a buscar a felicidade também no campo profissional, ir ao encontro do que te faz feliz, sabe? O autor fala com propriedade do tema, porque sonhava em ser palhaço profissional e hoje leva seus espetáculos e suas palestras pelo Brasil afora, encantando a todos.

Para ilustrar essa história tão linda usei papel de seda, papel crepom, botões, barbante, tinta acrílica, palitos de sorvete e, claro, muitos desenhos em aquarela.

Um dos pedidos do autor é que o desenho se parecesse com ele, mostrando as mesmas roupas que ele usa no palco, a mala que carrega, óculos, chapéu, o botão, e, assim foi feito:







Serão vários lançamentos, nos shows que Nelson faz, nas escolas, mas desde já o livro está à venda no site da editora Cortez: http://www.cortezeditora.com.br/DetalheProduto.aspx?ProdutoId=db68639f-6d53-e311-9b16-842b2b1656e4

É um lindo de presente de Natal, para você começar que quer mudar mas não sabe por onde começar!

Conheça o trabalho do Nelson, nos shows, veja as fotos e a agenda aqui: https://www.facebook.com/OBotaoMagico?fref=ts

Um beijo.


sábado, 26 de outubro de 2013

livro infantil ilustrado Flip

Hoje é dia de mostrar desenhos aqui, fazia tempo, eu estava com saudades!

Comecei a história do Flip, um pássaro que, machucado, é resgatado por um grupo de amigos num condomínio, numa cidade grande. Muita coisa acontece, e uma amizade profunda acontece, para saber de mais só lendo o livro ilustrado. Mas por enquanto deixo um pouquinho da arte do livro novo:






Neste livro as editoras pediram as ilustrações em cores fortes e lápis aquarelado e pastel seco foram os materiais usados. 
Sugeri um traço mais realista para o passarinho e elas toparam, uma história de amizade entre a natureza e meninos; Para criar o personagem principal, o pássaro Flip comecei pesquisando quais aves que ficariam bem representadas entre os adaptados à cidade grande, encontrei um site de aves e entre aves do Brasil, busquei uma que viva bem em cidade grande, mas que seja um pássaro pequeno e delicado, encontrei meu "modelo" entre os caboclinhos. Me encantei com o caboclinho da barriga vermelha e nesse site maravilhoso tem até o canto do pássaro que você escolher conhecer, pode saber mais sobre os caboclinhos aqui: 


livro infantil ilustrado O Botão Mágico

Pouco a pouco os desenhos coloridos, ora com aquarela, ora com acrílica ou lápis de cor estão entrando nas máquinas, são muitas impressoras gigantes, que rodam sem cessar e me ajudam a fazer os livros ilustrados.

Depois de fechados os pacotes posso mostrar aqui pedaços da criação de cada título. Para ver tudo, tem que pegar o livro impresso nas suas mãos.

Deixo hoje o registro do livro O Botão Mágico, que veio pela editora Cortez.

O texto fala de amizade, de realização pessoal e é baseada numa peça de teatro feita pelo palhaço Nelsinho, o Nelson Gonçalves.

Lendo o texto senti vontade de representar o ambiente do circo, muito colorido, alegre, de maneira bem artesanal, então além de tintas, usei colagens de papel de seda, barbante, botões, praticamente virei criança brincando de criar.


 Algumas vinhetas



O papel de seda é a lona do circo, que vai na capa e aqui na cena do trapézio.







O Lançamento deve acontecer entre janeiro e fevereiro de 2014, 
na ocasião eu te convido, tá?



sábado, 22 de junho de 2013

Aquarela para quarto de bebê



Aquarela para o bebê dos amigos Cheila e Lucas.
 
Conheci Cheila e Lucas há pouco tempo e fiquei fã, são dois jovens inteligentes, cultos, muito educados e, fácil, fácil, conquistaram minha amizade. (Tem também nessa família a Luiza, queridona).
 
A pequena família vai aumentar em breve com a chegada do bebê Thor, o nome escolhido é uma homenagem ao deus Thor e, é claro, ao Thor do universo Marvel, do Stan Lee. Digo claro porque na casa do Lucas e da Cheila tem um altar repleto de HQs de alta qualidade, o que expõe a paixão do Lucas (da Cheila também, mas o Lucas é fanático, rsrsrs) por livros e HQs, super heróis e itens colecionáveis. 
 
 
Eu gosto de fazer desenhos para quarto de bebês, e para o bebê Thor
não seria diferente.


Pensei numa cena noturna, onde ele, o pequeno Thor dorme exausto, depois de muito brincar com seus amigos das histórias dos livros, até o lobo mau - que é bonzinho - estaria roncando com eles.

O passo a passo:  Um esboço da ideia, personagens de histórias da infância fazem uma "cama" para o bebê;  jogo um pouco de cor com crayon para sentir o clima.

 
Apresentei o esboço acima para os pais do Thor que amaram o presente; e o papai Lucas pediu: "Dá para incluir o capacete e o Mjolnir *?" 
 
Mjolnir para você que não é um Marvel maníaco é o 
martelo mágico do Thor.
 
Sorri. "Claro, que dá". Refiz o esboço, com o capacete e o martelo.

 
Importante ressaltar que intencionalmente a composição tem uma forma geométrica, coisas que aprendemos nos cursos, e palestras, para garantir um resultado harmonioso devemos direcionar o olhar do espectador, e destacar os pontos que queremos que sejam os mais importantes na cena.
 
Aqui vemos uma elipse como forma geométrica.
 
Esboço terminado, vamos para mesa de luz para passar o esboço todo cheio de marcações e linhas "peludas" para o traço limpo, suave em papel de algodão.
 
 
 
  Essa mesa de luz ganhei do amigo Kilson em 2007,
ele quem fez, ficou excelente! E eu uso muito e sempre lembro
do meu amigo e do seu coração enorme.
 
Traço feito, começo a pintura, aquarela azul em tudo, para marcar sombras e volumes, depois as cores. Inicialmente pensei no urso polar, todo branquinho, mas com o verde da árvore e grama e o azul do céu, o quadro estava frio, então trouxe o marrom caramelo para o urso dando força e calor à cena.
 
 
 
Falta muito, mas os personagens estão aparecendo. Essa coruja protetora sobre os personagens é a tia do Thor, a tia Luiza !





Depois de terminar, mais umas 08 horas de pintura, é secar e levar para emoldurar, pretendo colocar paspatur cor de creme e moldura de madeira clara.

Espero que traga os mais doces sonhos para o bebê Thor.